Guia tipográfico: como escolher e combinar fontes para seus projetos

A tipografia possui grande importância na comunicação visual, sendo responsável pelo conforto na leitura de um texto, por sua legibilidade em situações diversas e por expressar muito a forma. 

Profissionais especializados em tipografia dedicam inúmeras horas pensando em cada detalhe das fontes que serão usadas em um projeto. Os que desenham os tipos, então, são verdadeiros artistas, que imergem em um processo de criação minucioso e extremamente trabalhoso, cuidando para que o desenho das letras seja harmônico e funcional.

Porém, este guia tipográfico não é voltado a especialistas. Ele tem como objetivo traduzir essa linguagem da tipografia para as pessoas que, apesar de usarem os tipos diariamente em seus projetos, não são e nem têm a intenção de ser especialistas no assunto.

Os tipos comunicam muito e podem ser mais uma forma de fortalecer a mensagem a ser transmitida, possibilitando mais coerência na comunicação como um todo, seja de uma empresa ou de um projeto isolado.

Sem mais delongas, bora lá:

Tipos e famílias tipográficas

Os tipos são os caracteres que compõem a imprensa, técnica antiga de impressão que revolucionou a indústria gráfica. Hoje, em plena era digital, a palavra pode ser usada para designar os caracteres de uma família tipográfica, que é o conjunto de fontes que reúnem as mesmas características estilísticas, porém com variações de peso, largura, altura, entre outros.

Existem diversos tipos de tipografias, com diferentes estilos e que podem (e devem) ser usadas para cumprir funções distintas. Abaixo, você pode conferir os principais tipos de tipos para compreender esse universo tipográfico:

Tipos com serifa

Os tipos com serifa são aqueles que possuem uma “perninha” nas extremidades das letras. Ou seja, as serifas são as terminações das letras, feitas assim devido à técnica de impressão antiga, onde os tipos eram cortados à mão e fundidos em chumbo.

As tipografias serifadas se dividem entre os tipos antigos e os modernos, como você pode ver a seguir:

As serifas são as terminações da letra.

Tipos antigos

Os tipos de estilo antigo carregam as características da escrita feita à pena, apresentando uma pequena variação entre traços grossos e finos em seu desenho. Por natureza, são sempre serifados.

São tipos elegantes e clássicos, bastante usados para textos longos por serem confortáveis aos olhos. Alguns exemplos de tipos antigos são:

A tipografia serifada antiga é ideal para projetos que desejam transmitir uma atmosfera clássica e elegante. Além disso, são ótimos para a legibilidade de textos longos, principalmente em materiais impressos. Na imagem, as tipografias usadas foram Times New Roman, Adobe Garamond e Baskerville PT, consecutivamente.

Tipos modernos

A revolução tecnológica causou grandes impactos nas artes gráficas. No que diz respeito aos tipos, a evolução dos equipamentos de impressão e da qualidade de reprodução dos materiais também transformou as formas tipográficas da época.

Os tipos modernos são resultado dessa revolução: ainda mantendo as serifas em suas formas, elas passaram a ser mais delicadas, finas e retas, com transições mais acentuadas. Perderam a característica da escrita feita à pena, mas mantiveram a elegância.

São tipos indicados para títulos, logotipos e frases destacadas em materiais, porém contraindicados em grandes blocos de textos. Alguns exemplos:

 

A tipografia moderna apresenta uma serifa mais delicada. Com transições acentuadas entre traços finos e grossos, sua legibilidade não é tão boa em grandes blocos de texto, sendo mais indicadas para títulos. Na imagem, foram usadas as tipografias Bodoni Moda, SchoolBook e Filosofia, respectivamente.

Tipos sem serifa

As tipografias sem serifa são mais modernas (datam do século XX) e possuem mais uniformidade em seu desenho. Ou seja, há pouca ou nenhuma variação entre traços grossos e finos, o que pode tornar esse tipo de fonte um pouco monótona.

Uma boa forma de torná-la mais interessante é usar suas variações de pesos em projetos, como bold, extra bold, medium e light. É também um ótimo estilo tipográfico para o digital, pois facilita a leitura de longos textos em páginas de sites, ao contrário dos materiais impressos, onde os tipos serifados são mais confortáveis.

Algumas tipografias sem serifa muito usadas conhecidas são:

As tipografias sem serifa são boas opções para usar em textos grandes em sites, blogs e redes sociais. Na imagem, foram usadas as fontes Lucida Sans, Roboto Condensed e Open Sans regular e extra bold, respectivamente.

Script (manuscrita)

Os tipos manuscritos são aqueles que imitam a escrita feita à mão, independente da ferramenta usada. Canetas, penas, pincéis e lápis podem inspirar a forma do desenho de um tipo manuscrito.

Justamente por isso, elas podem ter estilos diferentes, sendo mais elegantes ou modernas e despojadas. Alguns exemplos de fontes script:

Na imagem, foram usadas as fontes Pacifico, Coffee Service e P22 Dearest, respectivamente.

Display (decorativas)

Como o próprio nome diz, as fontes decorativas têm como função adornar uma palavra e são muito usadas quando o objetivo é tornar texto um forte elemento visual de uma composição, possuindo a mesma importância de uma imagem.

Seu uso não é indicado, porém, em longos blocos de texto. Funciona bem em títulos, destaques e, em alguns casos, logotipos.

Na imagem, foram usadas as fontes Monoton, Mythos e Blackcurrent, respectivamente.

Os pesos das fontes tipográficas

Dentro de uma mesma família tipográfica podem haver variações de peso da fonte. Dessa forma, enriquece-se as possibilidades de trabalhar um texto, tornando-o interessante com seus contrastes e, ao mesmo tempo, mantém-se a harmonia.

  • Light;
  • Regular;
  • Bold;
  • Extra Bold;
  • Itálico;
  • Condensado;
  • Estendido.

Atenção para a legibilidade!

Independente do meio em que a fonte será usada, é sempre interessante prezar pela legibilidade do que está sendo comunicado. 

Para textos longos, use sempre fontes serifadas em materiais impressos. No digital, você pode optar por fontes sem serifa, que possuem boa legibilidade em telas.

Deixe as fontes decorativas e difíceis de decifrar para casos especiais, em que a legibilidade não é prioridade e realmente faz sentido usá-las. 

Cuidado com as entrelinhas

As entrelinhas são os espaços entre as linhas de um bloco de texto e impactam diretamente no conforto da leitura. 

Em textos longos, é interessante manter um espaço de respiro entre as linhas – algo em torno de 1,5. Mantenha a consistência na entrelinha de um texto – variar o espaçamento só torna o material mais confuso e desarmônico, prejudicando a fluidez da leitura.

Já em títulos, a entrelinha aberta não é indicada. Ao contrário, é interessante que ela seja menor, para que haja unidade no título.

Qual é a fonte ideal para seu público?

Ao escolher as fontes para uma marca ou um projeto, devemos nos guiar pelo público ao qual iremos nos comunicar. Em seguida, é importante entender a personalidade da empresa ou pessoa que está se comunicando.

É no equilíbrio entre essas duas partes que se comunicam que encontraremos as respostas para as dúvidas sobre as escolhas estéticas de um projeto, não apenas tipográficas.

O que você deseja comunicar?

Para avaliar qual estilo de fonte escolher, é interessante se guiar pelos atributos que você deseja comunicar com sua marca ou projeto. 

Como combinar diferentes fontes tipográficas em seus projetos

Combinar fontes nem sempre é uma tarefa fácil, mas existem alguns princípios que podem nortear suas decisões para criar projetos bonitos, cheios de personalidade e que conectem com seu público. 

Antes de qualquer coisa, tenha em mente que manter a simplicidade e ter bom senso é uma das melhores formas de criar composições que funcionem. Agora vamos para as dicas:

1- Não abuse da quantidade de fontes

A combinação de duas fontes tipográficas em um projeto é mais que suficiente para dar personalidade e criar uma comunicação interessante visualmente

2 - Famílias tipográficas extensas facilitam sua vida

Escolher famílias tipográficas com muitas variações de pesos é uma forma de facilitar a vida, já que as variações passam a impressão de terem sido usadas fontes diferentes. Dessa forma, você ainda garante a harmonia de seu material, já que por serem da mesma família tipográfica, as fontes certamente combinam entre si.

3 - Combine fontes sem serifa com fontes serifadas

Fontes serifadas combinam muito bem com fontes sem serifa. O mais comum é usar um tipo para títulos e outro tipo para textos corridos. Assim, você cria consistência e contraste na comunicação.

Você conhece quais são os direitos de uso das fontes?

Os computadores e a internet revolucionaram o uso de fontes tipográficas no mundo. O que era exclusividade do universo de produção gráfica, se tornou de uso cotidiano por todas as pessoas, até mesmo em mensagens informais enviadas aos amigos e família.

Há de se ter cuidado, porém, com o uso comercial das fontes, já que elas possuem direito de propriedade. Existem diferentes tipos de licença possíveis: entre as fontes gratuitas que encontramos na internet, algumas são livres para uso pessoal e outras são livres para uso pessoal e comercial.

O Google Fonts é o maior e mais seguro banco de fontes open source para encontrar fontes gratuitas para usar em seus projetos. Certifique-se de que a fonte escolhida é livre para uso comercial antes de usá-la, para evitar problemas jurídicos futuramente.

Entre as fontes pagas, também existem diferenças entre as licenças de uso possíveis de serem compradas, como para uso web (webfonts), aplicativos, 

Espero que este Guia tipográfico possa te ajudar a criar as combinações certas para seus projetos. Até mais!

Fontes:

Este artigo foi escrito com base em livros e conteúdos digitais, que indico abaixo caso você queira continuar estudando o assunto:

Livros:

  1. A linguagem invisível da tipografia, Erik Spiekermann.
  2. Direção de arte em propaganda, Newton Cesar.
  3. Ensopado de design gráfico, Timothy Samara.

Cursos online:

Nathália Quintão

Nathália Quintão

Designer especialista na criação de identidade de marcas.